Terça Tem Teatro apresenta no Itaú Cultural Se eu Fosse Iracema, monólogo sobre o universo indígena

 

Terça Tem Teatro apresenta no Itaú Cultural Se eu Fosse Iracema, monólogo sobre o universo indígena

 

Com dramaturgia de Fernando Marques, direção de Fernando Nicolau e interpretado

por Adassa Martins, o espetáculo faz uma reflexão sobre as possibilidades de convivência

entre as diferenças lançando um olhar sobre o universo indígena brasileiro, transitando entre a tradição e a sua situação na atualidade

 

 

 

 

Nos dias 1 e 2 de maio, às 20h, a programação do Terça Tem Teatro traz para a cena Se eu Fosse Iracema. O monólogo encenado por Adassa Martins, com dramaturgia de Fernando Marques e direção de Fernando Nicolau, tomou forma após terem lido uma carta escrita pelos índios Guarani Kaiwoá, em 2012, na qual diziam preferir a morte a terem as suas terras tomadas. O grupo teve como referência, ainda, os filmes Índio Cidadão, de Rodrigo Siqueira, Belo Monte, Anúncio de uma Guerra e A Lei da Água, ambos de André D’Elia e inspiração na obra de José de Alencar, Iracema. Com base na causa indígena, a peça-solo propõe abrir a discussão para a possibilidade de convivência entre as diferentes raças, etnias, gêneros e pensamentos divergentes.

 

Adassa interpreta vários personagens, em uma trajetória do ciclo da vida. Começa com a figura de um pajé, representando a sabedoria e o fim do universo. Segue como uma criança, símbolo da inocência e princípio da vida, e, depois, como um adolescente. Por fim, dá voz a uma mulher adulta urbana fazendo contraponto com a tradição nativa. A atriz mescla idiomas e dialetos criados por ela para fortalecer a ideia das diferenças e dar voz ao sofrimento das pessoas marcadas pelo extermínio.

 

A dramaturgia faz referências que vão de mitos e rituais de etnias diversas no Brasil a aspectos como a demarcação de terras e outros direitos fundamentais, majoritariamente negligenciados. De forma sutil a questão política é revelada pelo costume do homem branco folclorizar o índio. Na contramão, o figurino é composto por uma saia de látex, um colar de lâmina de facão e uma galocha. O cenário apresenta um tronco de árvore cortado por um vidro, sem estereótipos ou referências explícitas.

 

Consulte o link para o vídeo do teaser do espetáculo: https://youtu.be/-ywtAD3qVZU

 

Ficha Técnica

Intérprete: Adassa Martins

Dramaturgia: Fernando Marques

Direção: Fernando Nicolau

Iluminação e cenografia: Licurgo Caseira

Operação de luz: Ricardo Lyra Jr

Figurino e caracterização: Luiza Fardin

Trilha sonora original e desenho de som: João Schmid

Preparação vocal: Ilessi

Direção de arte da comunicação visual e projeto gráfico: Fernando Nicolau

Escultura do busto: Bruno Dante

Fotografia: Imatra

Caracterização das fotos: Luiza Fardin

Assistente de direção: LuCa Ayres

Assistente de figurino: HigorCampagnaro

Cenotécnico: André Salles

Aderecista: Derô Lopes

Produção executiva: Clarissa Menezes

Realização e produção: 1COMUM

Idealização: Fernando Nicolau e Fernando Marques

 

SERVIÇO:

Terça Tem Teatro

Se eu Fosse Iracema

Dias 1 e 2 de maio, às 20h

Duração: 60 minutos

Classificação indicativa: 14 anos

Local: Sala Itaú Cultural

224 lugares

Entrada gratuita

Distribuição de ingressos:

Público preferencial: duas horas antes do evento | com direito a um acompanhante

Público não preferencial: uma hora antes do evento | um ingresso por pessoa

Interpretação em Libras

 

 

 

 

Itaú Cultural

Avenida Paulista, 149, Estação Brigadeiro do Metrô

Fones: 11. 2168-1776/1777

Acesso para pessoas com deficiência física

Ar condicionado

Estacionamento: Entrada pela Rua Leôncio de Carvalho.

Se o visitante carimbar o tíquete na recepção do Itaú Cultural:

3 horas: R$ 7; 4 horas: R$ 9; 5 a 12 horas: R$ 12

Com manobrista e seguro, gratuito para bicicletas.

www.itaucultural.org.br

www.twitter.com/itaucultural

www.facebook.com/itaucultural

www.youtube.com/itaucultural

www.flickr.com/itaucultural

 

Deixe uma resposta

Translate »