cinema

“O Homem das Multidões” participa da 17ª edição da Mostra de Cinema de Tiradentes

O Homem das Multidões, de Cao Guimarães e Marcelo Gomes, participa da 17ª edição da Mostra de Cinema de Tiradentes

 

17ª Mostra de Cinema de Tiradentes

Data: 31 de janeiro, sexta-feira

Horário: 18h

Local: Cine Tenda (Largo da Rodoviária)

Equipe presente: o diretor Cao Guimarães, o ator Paulo André e os produtores Beto Magalhães e João Vieira Jr

 

O Homem das Multidões,  parceria do mineiro Cao Guimarães com o pernambucano Marcelo Gomes, integra a Mostra Autorais, da 17ª Mostra de Cinema de Tiradentes, que acontece de 24 de janeiro a 1º de fevereiro, com exibições gratuitas. Produzido por Beto Magalhães, da Cinco em Ponto e João Viera Jr, da REC Produtores, o longa-metragem tem estreia prevista para 02 de maio.

 

O filme é uma coprodução entre Minas Gerais e Pernambuco e foi todo realizado em locações no centro de Belo Horizonte (MG). Resultado de quase sete anos de trabalho, O Homem das Multidões marca o oitavo longa-metragem assinado por Cao e o quarto título por Marcelo. Ambos foram premiados com o Redentor de Melhor Direção, na Première Brasil, do Festival do Rio 2013.

O Homem das Multidões é livremente inspirado no conto The man of the crowd, do escritor norte-americano Edgar Allan Poe e acompanha o cotidiano de Juvenal (Paulo André), solitário maquinista de metrô. Juvenal se mistura ao aglomerado de pessoas do centro de uma grande metrópole, em busca das companhias que ele não tem na sua vida particular.

Para narrar visualmente a história, o longa-metragem adota a razão de aspecto (aspect ratio) de 3 x 3. A proporção quadrada da imagem foi “inventada” pelos realizadores para transmitir, com imediata e constante regularidade durante o narrativa, os estados internos de Juvenal e Margô (Silvia Lourenço), no intuito de criar um tipo de “claustrofobia da imagem”, segundo os diretores.

A produção, distribuição e finalização tiveram orçamento total de R$ 1,8 milhão, viabilizado com patrocínio da Telemont, Cemig/Filme em Minas e Petrobras. O projeto foi selecionado pelo Programa Petrobras Cultural 2010/2011 e contou, no seu desenvolvimento, com recursos do Prêmio Adicional de Renda da Ancine. Teve ainda apoio da Berliner Kunstler Programmdes DAAD e do Open Doors do Festival de Locarno, na Suíça.

 


SOBRE OS DIRETORES

Cao Guimarães é cineasta e artista plástico, dirigiu 24 curtas-metragens e oito longas – entre eles os premiados Da Janela do Meu Quarto (2005), Acidente (2006 – em parceria com Pablo Lobato), Ex-Isto (2010), adaptado de um romance de Paulo Leminski, e Otto (2012). Com seus filmes, participou de festivais em Locarno, Veneza, Sundance, Cannes, Roterdã, São Paulo e Rio de Janeiro, entre vários outros.

 

Marcelo Gomes é roteirista e diretor, seu primeiro longa-metragem O Cinema, A Aspirina e Os Urubus teve sua premieré no festival de Cannes – 2005. Em co-direção com Karim Ainouz, realizou, em 2009, o filme Viajo porque preciso, volto porque te amopremieré no festival de Veneza . E ainda dirigiu, em conjunto com Karim Ainouz, uma videoinstalação para a 26ª Bienal Internacional de Arte de São Paulo – 2004. Em 2012 finaliza Era uma vez eu, Verônica vencedor do festival de Brasília e Amazonas além de participar do festival de Toronto, San Sebastian e Cuba.

 

 

O Homem das Multidões

Produzido por CINCO EM PONTO e REC PRODUTORES ASSOCIADOS

Brasil, 2013, 95 min, DCP, 14 anos.

Elenco: Paulo André e Silvia Lourenço. Participação especial de Jean-Claude Bernardet

Direção e Roteiro: Cao Guimarães e Marcelo Gomes

Produção: Beto Magalhães e João Vieira Jr.

Coprodutores: Cao Guimarães, Chico Ribeiro, Marcelo Gomes e Ofir Figueiredo

Produtores associados: Silvia Lourenço e Juliano Magalhães

Direção de fotografia: Ivo Lopes Araújo

Direção de arte: Marcos Pedroso

Montagem: Cao Guimarães, Marcelo Gomes e Lucas Sander

Desenho de som e trilha sonora: O Grivo

Elenco Secundário: Alexis de Abreu, Eloína Olíkpio, Léo Ferreira, Léo Quintão, Magdale Alves, Geraldo José Silva, Shima

Sinopse: Juvenal é um maquinista de metrô em Belo Horizonte, Margô controla o fluxo dos trens. Ambos vivem em um estado de profunda solidão – cada um à sua maneira. Esse filme é uma reflexão sobre diferentes formas de solidão e amizade no universo urbano brasileiro.

Agente de vendas: Figa Films

Distribuição: Espaço Filmes

Deixe uma resposta