FERNANDA D´UMBRA REESTREIA MONÓLOGO DE FERNANDO BONASSI COM DIREÇÃO DE CHRISTIANE TRICERRI NA SP REESTREIA DE TEATRO

‘Isso não é um sacrifício’, com Fernanda D´Umbra, evidencia o

apedrejamento diário no convívio social

Reestreia no dia 25 de junho (domingo, 20h) na SP Escola de Teatro, o espetáculo ‘Isso não é um sacrifício’.

Em seu primeiro monólogo, a atriz Fernanda D´Umbra vive uma mulher prestes a ser apedrejada até a morte. Uma mulher, que já foi usada de diversas formas e agora será descartada. A peça mostra a violência, o descarte diário, o apedrejamento nosso de cada dia.

SOBRE O PROJETO

É um monólogo sobre a perseguição, sobre a intolerância, mas principalmente sobre o apedrejamento diário no convívio social, onde cada um tem sua própria ideia de vida e a defende com unhas e dentes sem se importar com o outro lado dos muros que ergueram. É, antes, sobre o feminino, como essência, em contraponto a um masculino que representa a violência e o poder.

Um texto de Fernando Bonassi, marcando o reencontro de Christiane Tricerri, na direção, com a atriz Fernanda D’Umbra estreando seu primeiro monólogo. Um espetáculo sobre imobilidade, o não movimento, em busca de uma fresta de luz, um fim de túnel.

Pesquisando uma linguagem de teatro microfonado, onde a voz e instrumentos musicais conversam entre si e se convertem em sinfonia entre atriz, voz, corpo e sonoridade, a diretora busca o aprofundamento poético, estético, humano e teatral no texto Isso não é um Sacrifício de autoria de Fernando Bonassi.

“Um tema que me interessa como artista e diretora, sobre o mundo atual, um momento propício para nos tornarmos vítimas ou algozes trocando esses papéis em um piscar de olhos.” diz Christiane Tricerri.

Uma atriz, sua musicalidade, seu desenho de voz, um desenho de som, um cenário e figurinos que são movimentados pelas palavras desse texto de Fernando Bonassi.

Citando o diretor Aimar Labaki: “E, no meio de tudo, uma atriz incomparável. Fernanda D´Umbra alia a técnica irretocável a um carisma abissal. É um animal em cena, mas com as unhas muito bem pintadas ( ainda que não aparadas). Teatro puro, na veia, urgente – mas com vocação para clássico.”

FICHA TÉCNICA

Texto: Fernando Bonassi

Concepção e direção: Christiane Tricerri

Interpretação: Fernanda D’ Umbra

Cenário-figurino: Gal Oppido. Trilha (composição e execução ao vivo): Jorge Jordão. Direção musical e desenho de som ao vivo: Rafael Bresciani. Desenho de luz: Olivia Munhoz. Operação: Macos Loureiro. Adereço de cabeça: Helena Obersteiner. Fotografia e desenhos: Gal Oppido. Execução de projeto cenográfico: Alvaro Egas e Viviane Tricerri André. Projeto gráfico: Alonso Alvarez. Produção de projeto incentivado: Alexandre Mroz. Direção de produção: Alexandre Brazil. Idealização de projeto: Christiane Tricerri


A DIRETORAChristiane Tricerri é atriz, diretora e produtora teatral, bacharel em Artes Cênicas pela ECA-USP. Integrante do Teatro do Ornitorrinco há mais de 30 anos, ao lado de Cacá Rosset, onde foi dirigida em grandes montagens como Ubu,Pholias Phisicas Pataphisicas e Musicaes de Alfred Jarry, O Doente Imaginário de Moliére, Sonho de Uma Noite de Verão, Comédia dos Erros e A Megera Domada, de Shakespeare, esta última, além de protagonista, produtora. Seu último trabalho como atriz,diretora e produtora foi o festejado espetáculo A Merda ( La Merda) de Cristian Ceresoli. Dirigiu, ainda, Maria Alice Vergueiro em Medea e esteve aos lado de Raul Cortez e Zé Celso Martinez em montagens como Reai Lear e Mistérios Gososos. Participou com o Teatro do Ornitorrinco de diversos festivais de teatro internacionais, dentre eles o conceituadíssimo New York Festival Shakespeare.

 

O AUTORFernando Bonassi nasceu em 1962, em São Paulo. É roteirista, dramaturgo e escritor, autor dos romances Subúrbio (Objetiva) e Luxúria (recentemente lançado pela Record), e dos livros de contos Passaporte (Cosac&Naify) e SP Brasil (finalista do Jabuti 2003), entre outros. No cinema, destacam-se os roteiros de Estação Carandiru (de Hector Babenco) e Cazuza – O Tempo Não Para (de Sandra Werneck e Walter Carvalho) – no teatro, as montagens de Apocalipse 1,11 (Teatro da Vertigem) e Arena Conta Danton (direção de Cibele Forjaz). Vencedor da bolsa de artes do DAAD (Serviço Alemão de Intercâmbio), com a qual viveu e escreveu em Berlin, em 1998. Desenvolveu, em parceria com Marçal Aquino – os seriados Força- Tarefa, O Caçador e Supermax, para a Rede Globo de Televisão.

 

A ATRIZFernanda D´Umbra é atriz, cantora, roteirista, diretora de Teatro e TV. Formada pela EAD – USP atuou em cerca de setenta espetáculos de Teatro como atriz e cantora em companhias como Teatro do Ornitorrinco, Cemitério de Automóveis, La Mínima, Pia Fraus,  Parlapatões e Satyros. Em 2005 recebeu o Prêmio Qualidade Brasil de Melhor Atriz por sua atuação no espetáculo As Mulheres da Minha Vida, ao lado do ator Antonio Fagundes sob direção de Daniel Filho. Em TV atuou como protagonista do seriado Mothern no GNT. Escreveu  e fez assistência de direção do seriado Descolados, exibido pela MTV. É também roteirista do seriado “Agora Sim!”, da Sony, além de assinar duas novas séries em produção. No cinema trabalhou com os diretores Ugo Giorgetti (Boleiros 2) e José Eduardo Belmonte (Meu Mundo em Perigo e Gorila) e Michel Tikhomiroff (Confia em Mim). Dirigiu doze espetáculos teatrais, entre eles Roxo, de Jon Fosse, Homens Santos e Desertores, de Mário Bortolotto, Meninas da Loja, de Caco Galhardo e Syngue Sabour, de Atiq Rahimi. Em 2007 formou com Flávio Vajman, Sérgio Arara e Cristiano Miranda a banda Fábrica de Animais, da qual é vocalista. A banda lançou dois álbuns pelo selo Baratos Afins. É também poeta e escreve em www.semgelo.zip.net e www.canteirocentral.blogspot.com.br

 

 

 

 

Isso não é um sacrifício

Texto: Fernando Bonassi

Concepção e direção: Christiane Tricerri

Interpretação: Fernanda D’ Umbra

Estreia: 25 de junho de 2017. Domingo, às 20h

Temporada: 25/06  a 30/07 – Sábados às 21h. Domingos às 20h

Local: SP Escola de Teatro – Auditório R4 – 30 lugares. Não recomendado para menores de 14 anos
Duração: 45 minutos. Ingressos: R$20,00

SP Escola de Teatro: Praça Roosevelt, 210 – Centro

Telefone – (11) 3121.3200
Acesso para deficientes físicos

Não temos estacionamento

Ingressos à venda somente na hora.

Related Posts

  • 100
    Montagem com texto de Dario Fo tem produção e atuação de  Virginia Cavendish  Crédito foto : Edson Lopes Jr.   A comédia “Não Vamos Pagar!” do dramaturgo italiano Dario Fo inicia temporada no Teatro Folha dia 1º de setembro e fica em até 22 de outubro, com sessões de sexta-feira…
    Tags: de, a
  • 100
    Em decorrência de gravações da nova escolinha da Globo a participação de Marco Luque do dia 27/06 no festival Terça Insana foi cancelada. Na mesma data Grace Gianoukas recebe Mila Ribeiro, Agnes Zuliani e Renata Augusto.   FESTIVAL TERÇA INSANA   Estreia no dia 9 de maio, às 21h, com…
    Tags: de, a
  • 100
    Com música ao vivo e uma nova roupagem para uma das histórias mais conhecidas de William Shakespeare (1564-1616), a comédia Nem Romeu, Nem Julieta dialoga e reflete com o público jovem ao focar na trama sob o ponto de vista de Rosalina, prima de Julieta Capuleto e o primeiro amor de Romeu…
    Tags: de, a
  • 100
    DE MINAS PARA O RIO FESTIVAL TEATRO EM MOVIMENTO CHEGA AO OI FUTURO FLAMENGO, NA 2° EDIÇÃO DA MOSTRA MINAS, COM OS ESPETÁCULOS “DANAÇÃO”, “CHACHORRO ENTERRADO VIVO” E “UM INTERLÚDIO- A MORTE E A DONZELA”   Um dos mais importantes programas continuados de artes cênicas de Minas Gerais, o "Teatro…
    Tags: de, a
  • 100
    TRAIR E COÇAR É SÓ COMEÇAR . Comédia de MARCOS CARUSO.   HÁ TRINTA E UM ANOS EM CARTAZ , DE FORMA ININTERRUPTA .:   TEATRO RUTH ESCOBAR SALA DINA SFAT RUA DOS INGLESES 209 TEL. 3289 23 58 391 LUGARES 120 MINUTOS 12 ANOS SEXTAS 21 HORAS $ 70,00…
    Tags: de, a

Deixe uma resposta