Eu Faço Cultura

Novo formato do programa Eu Faço Cultura promove desde janeiro de 2016 uma verdadeira conexão entre produtores e consumidores de cultura, beneficiando ambos os públicos. Programa foi prorrogado até junho de 2017.

Com 97 mil ingressos e produtos culturais distribuídos até o momento, mais de 500 produtores cadastrados, o Eu Faço Cultura  está presente em 83 cidades nas cinco regiões do país.

O Eu Faço Cultura tem uma proposta inédita no Brasil e funciona da seguinte forma: o projeto compra ingressos/produtos do produtor cultural ou fornecedores de cultura e distribui aos beneficiários finais, com subsídio total do Governo Federal, por meio da Lei Rouanet. Uma iniciativa da FENAE e das APCEFs, com a participação de milhares de empregados da ativa e aposentados da CAIXA, assim como o patrocínio da CAIXA Seguradora e da PAR Corretora.

O maior diferencial deste projeto é a facilidade de participar e a ampla oferta de produtos culturais gratuitos oferecidos para resgate na plataforma digital. O produtor cultural só precisa cadastrar seu projeto e aguardar a aprovação dos documentos que comprovam a legitimidade e qualidade do seu produto, o beneficiário (participantes de programas sociais do governo, microempreendedores individuais – MEI e diretores de escolas públicas ou ONGs) deve efetuar um cadastro para poder resgatar 1 par de ingressos por ano. No caso de instituições, 1 par de ingressos por aluno/integrante da ONG.

Fevereiro de 2017 já começa com ótimas novidades em teatro como as peças infantis premiadas da Cia Le Plat du Jour “Cinderela”, “Rapunzel” e “Chapeuzinho Vermelho”; “Bichos do Brasil”, da Pia Fraus; as comédias “Terça Insana, Grace Gianoukas recebe” e “7 Conto” com direção de Ingrid Guimarães e com Luis Miranda no elenco.

Peças importantes de 2016 fizeram parceria com o projeto como 7 Conto, com Luis Miranda e direção de Ingrid Guimarães, Gota D´água a Seco, direção de Rafael Gomes.  Nós, com os mineiros do Grupo Galpão; Estamira, que venceu o prêmio shell com a atriz Dani Barros; Os Monólogos da Vagina dirigido pelo Miguel Falabella; Frida y Diego, com autoria de Maria Adelaide Amaral; O Corpo Da Mulher Como Campo De Batalha, texto do renomado Matéi Visniec e com Ester Jablonski e Fernanda Nobre (indicada ao prêmio Shell); Gonzagão- A Lenda, musical com texto e direção de João Falcão; Kiwi, de Luciano Mazza, entre outros.

Para o mineiro Eduardo Moreira, sócio fundador do Grupo Galpão o projeto vai de encontro com o maior objetivo do Grupo, que é a democratização da cultura. “São projetos como este que nos possibilitam ampliar nosso público, levar nosso produto artístico para um público mais amplo, que muitas vezes não tem condições de pagar um ingresso, considero que este projeto tem uma imensa importância social e cultural”

 

 

Sobre a FENAE

A Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae) foi fundada com o objetivo de proporcionar integração e unidade ao movimento associativo dos empregados da Caixa. Ela congrega as 27 Apcefs do país. Juntas, as entidades têm como missão promover o bem-estar da categoria, defendendo direitos e incentivando práticas sociais, esportivas e culturais. Desde 2006, a Fenae aposta no Eu Faço Cultura para transformar o empregado da Caixa em um incentivador cultural. Para maiores informações – mcpc.mundocaixa.com.br

Sobre a Caixa Seguradora

A Caixa Seguradora reúne serviços nos ramos de Seguros, Previdência, Consórcio e Capitalização, oferecendo um portfólio completo e ao alcance de toda a sociedade. Suas áreas de investimentos também envolvem programas e pesquisas socioambientais, patrocina a arte e a cultura e promove a gestão sustentável.

 

Para conferir a vitrine com todos as atrações culturais, acesse o site www.eufacocultura.com.br.

MPC: mcpc.mundocaixa.com.br

Deixe uma resposta