DORINATECA – Biblioteca digital para pessoas cegas ou com baixa visão

DORINATECA – Biblioteca digital para pessoas cegas ou com baixa visão

Uma barreira a menos no acesso à informação

DORINATECA – BIBLIOTECA DIGITAL DORINA NOWILL

As pessoas com deficiência visual que acompanham as inovações da era digital, poderão usufruir de um acervo online com mais de 4400 títulos em formatos acessíveis onde quer que elas estejam, com possibilidade de download e impressão em braile

Na pesquisa Condições de Vida das Pessoas com Deficiência no Brasil – 2013, realizada pela Secretaria de Transparência Coordenação de Pesquisa e Opinião – DataSenado com 1.007 pessoas com deficiência de todo o Brasil, 73,9% citaram a internet como principal meio de comunicação onde buscam informações no dia-a-dia. Conhecendo a importância da inclusão digital em uma era na qual a tecnologia é um fato presente, a Fundação Dorina Nowill para Cegos lança mais uma ferramenta que facilitará o acesso à cultura, informação educação e entretenimento para as pessoas com deficiência visual.

A novidade é a Dorinateca – Biblioteca Digital Dorina Nowill, uma biblioteca sem fronteiras que proporcionará acesso facilitado e amplo a um acervo de livros nos formatos áudio e digital acessível Daisy, além de arquivos para impressão de publicações em braille. No site www.dorinateca.org.br, todos os títulos e formatos acessíveis estarão disponíveis para download para as pessoas com deficiência visual, protegidos por um finger print, evitando a pirataria. O acervo acessível da Fundação Dorina, disponibilizado em livros impressos em braille, em áudio ou digitais acessíveis gravados em CDs, continuará a ser produzido. Porém, a plataforma digital deve ampliar de forma significativa o acesso deste público a livros acessíveis em qualquer lugar que estejam. Para acessar a e usufruir do acervo, os requisitos são o cadastro na Dorinateca e o acesso à internet.

O projeto foi viabilizado pelo Ministério da Cultura e contou com o patrocínio dos Parceiros de Visão Cielo, Sanofi e Carrefour. Estas empresas acreditam que é necessário estimular o conhecimento e minimizar os preconceitos quanto às limitações da pessoa cega e ampliar suas ferramentas de acesso à cultura e à educação. A plataforma foi desenvolvida pela empresa Results.

“Os livros poderão ser baixados, de forma autônoma e ágil, diretamente pela plataforma Dorinateca conforme o interesse e recurso desejado pelas pessoas com deficiência visual. É como ter uma prateleira de livros acessíveis em um ambiente virtual”, afirma Ana Paula Silva, coordenadora de acesso ao livro, da instituição. A profissional reforça que há ainda um acréscimo: “o acervo disponível apoiará na alfabeti zação por meio do braille, pois também disponibiliza arquivos apropriados para impressoras braille. Assim, reforçamos que os formatos de materiais acessíveis se somam e a tecnologia é utilizada como complemento e incentivo à leitura e à alfabetização”.

O projeto prevê que até o final de 2015, a biblioteca online conte com mais de 4400 títulos em formatos acessíveis. Além do acervo que a Fundação Dorina já possui, serão editados mais 100 novos títulos de literatura nacional, estrangeira e infanto-juvenil, best-sellers, conteúdos para concursos públicos e outros temas e, assim como todos os títulos que forem transcritos a partir de agora, serão adicionados à Dorinateca. Estes materiais poderão atender a milhares pessoas já cadastradas na instituição e poderão fazer a diferença na vida das mais de 6,5 milhões de pessoas que possuem alguma deficiência visual em todo o Brasil. As pessoas que enxergam terão acesso a títulos de domínio público e também poderão usufruir dessa ferramenta e ainda conhecer mais sobre os formatos acessíveis.

“A Fundação Dorina acompanha o avanço tecnológico e busca atender as demandas das pessoas com deficiência visual. Este projeto é mais um recurso para facilitar que estes leitores possam seguir a tendência de consumo atual de conteúdo, que propõe que a informação esteja em qualquer lugar, a qualquer hora, e possa ser acessada rapidamente”, completa Ana Paula.

Outros projetos com tecnologia acessível
DDReader – Dorina Daisy Reader
– A Fundação Dorina lançou o primeiro aplicativo brasileiro para a leitura de livros digitais com acessibilidade, no formato Daisy, para Android.
Revista Falada Fundação Dorina – Informar para Incluir – Publicação produzida e editada pela instituição e que, anteriormente, era enviada por CD, para leitores com deficiência visual do Brasil. Com a versão digital, a revista alcança um público maior, formado não só por pessoas cegas ou com baixa visão, mas também por seus pares e interessados no tema. www.fundacaodorina.org.br/revistafalada

 

Sobre a Fundação Dorina Nowill para Cegos
A Fundação Dorina Nowill para Cegos atua há 69 anos para facilitar a inclusão de crianças, jovens e adultos cegos e com baixa visão, por meio de serviços gratuitos e especializados de reabilitação, educação especial, clínica de visão subnormal e programas de empregabilidade. A instituição é referência na produção de livros e revistas acessíveis nos formatos braille, falado e Daisy, distribuídos gratuitamente para pessoas com deficiência visual e para mais de 2500 mil escolas, bibliotecas e organizações em todo o Brasil. www.fundacaodorina.org .br / 11 5087.0999

Deixe uma resposta