Festivais

2° edição do São Paulo Jazz Festival acontece entre os dias 23 a 25 de novembro

São Paulo Jazz Festival recebe as apresentações musicais de Carlos Ezequiel, Vinicius Gomes, Bruno Tessele Quinteto, Wilcox Quarteto, Leandro Cabral e Lupa Santiago entre outros.

São Paulo. Maior cidade do Brasil e da América Latina e fruto do grande número de etnias culturais que compõem sua rica história é palco da 2° edição do São Paulo Jazz Festival. O evento vem promover o encontro de nomes da música nacional e internacional em um grande evento cultural e turístico.

A edição 2017 do evento acontece entre os dias 23 a 25 de novembro. O bar Ao Vivo Music (espaço 1) recebe as apresentações musicais de Carlos Ezequiel, Vinicius Gomes, Bruno Tessele Quinteto, Wilcox Quarteto, Leandro Cabral e Lupa Santiago. Já no palco da Unibes Cultural (espaço 2) acontece apresentações tributos a três grandes nomes do Jazz mundial: Herbie Hancock, Thelonious Monk e Miles Davis.

Programação 2017

  • 23/11 – Espaço 1 – 21:00hs Carlos Ezequiel – 22:30hs Vinicius Gomes
  • 24/11 – Espaço 1 – 21:00hs Bruno Tessele Quinteto – 22:30hs Igor Willcox Quartet
  • 25/11 – Espaço 1 – 21:00hs Leandro Cabral – 22:30hs Lupa Santiago
  • 23/11 – Espaço 2 – 20hs Tributo a Herbie Hanconk
  • 24/11 – Espaço 2 – 20hs Tributo a Thelonious Monk
  • 25/11 – Espaço 2 – 20hs Tributo a Miles Davis

Locais

Espaço 1: (Bar Ao Vivo Music) – www.aovivomusic.com.br   – Rua Inhambu, 229 – Bairro Moema, São Paulo – SP.

Espaço 2: (Unibes Cultural) – www.unibescultural.org.br  – Rua Oscar Freire, 2500 – Bairro Sumaré, São Paulo – SP.

VALORES

Espaço 1: (Bar Ao Vivo Music) – www.aovivomusic.com.br   – Rua Inhambu, 229 – Bairro Moema, São Paulo – SP.
R$: 50 (Inteira)
R$: 25 (meia)

Espaço 2: (Unibes Cultural) – www.unibescultural.org.br  – Rua Oscar Freire, 2500 – Bairro Sumaré, São Paulo – SP.
R$ 30 (Inteira)
R$ 15 (meia)

Vendas Online: EventBrite – http://spjazzfestival.eventbrite.com/

 

Idade (para acesso aos shows)

18 anos (Espaço 1 – Bar Ao Vivo Music)

16 anos (Espaço 2 – Unibes Cultural)

 

Serviço

Assessoria de imprensa: Willian Rafael Oliveira – wro.rafael@gmail.com

Coordenação Geral: Fenix Projetos (www.fenixprojetos.org)

Ingressos: EventBrite – http://spjazzfestival.eventbrite.com/

Parceiros: Ao Vivo Music, Unibes Cultural, EventBrite e HitList.

Release das atrações

 

CARLOS EZEQUIEL

CARLOS EZEQUIEL é baterista, compositor e produtor musical. Com mais de 20 anos de carreira, está lançando seu novo CD “Circular”, apresentando composições que reúnem referências que vão do Jazz, à Música Brasileira contemporânea.

O disco conta com a participação do saxofonista americano David Binney, do guitarrista norueguês Lage Lund, e dos brasileiros Gustavo Bugni (piano) e Gui Duvignau (contrabaixo).

Natural de Maceió, Carlos residiu nos EUA nos anos 90. De volta ao Brasil em 2000, foi indicado aos prêmios Visa e Grammy Latino. Em São Paulo, toca com o Sizão Machado Quarteto e o Vítor Alcântara Quinteto. Tocou no Brasil com grandes nomes do jazz internacional como Kurt Rosenwinkel, David Liebman, George Garzone; produziu o disco “A Saga da Travessia” (Letieres Leite & Orkestra Rumpilezz, 2016); e tocou e produziu o novo disco do percussionista Airto Moreira, “Aluê” (2017).

Atua regularmente no exterior com artistas como o finlandês Pekka Pylkkanen (com quem esteve no Copenhagen Jazz Festival, no Hong Kong Jazz Festival, e fez três turnês no Japão); e o irlandês Ronan Guilfoyle (com quem fez turnês na Índia e no Japão). Também gravou o cd “Copenhagen Sao Paulo” com os dinamarqueses Thomas Walbum e Thomas Maintz, com turnê de lançamento na Europa em 2013.

Já se apresentou na Coreia do Sul, Finlândia, Irlanda, Suíça, França, Holanda, EUA e América do Sul.

Para o lançamento do CD “Circular”, Carlos Ezequiel conta com os músicos Josué dos Santos (sax alto), Fernando Correa (guitarra), Gustavo Bugni (piano) e Gui Duvignau (contrabaixo), apresentando composições como “Quando Não Houver Saudade”, “Circular I”, e “Você Me Colcheia”.

 

 

VINICIUS GOMES

Guitarrista, violonista e compositor, lançando em 2017 seu primeiro álbum inteiramente autoral, “Resiliência”, dedicado a fundir o universo brasileiro ao jazz moderno.​

Tem se apresentado com importantes compositores e intérpretes, como Zizi Possi (com quem atua como guitarrista e arranjador), Rosa Passos, Jane Duboc,

Arthur Verocai e Oswaldinho do Acordeon, além de nomes da música instrumental como Toninho Ferragutti (Com quem gravou o disco “A Gata Café”, vencedor do Premio da Musica Brasileira 2017), Thiago Espirito Santo, Robertinho Silva e Mestrinho.

Também tem trabalhado com orquestras como OSESP e Jazz Sinfônica de SP.​

Possui mestrado pela ECA/USP, onde escreveu o trabalho “Helio Delmiro – Composições para Violão Solo”,

Vencedor do PROAC 2015 na categoria música instrumental.

Vem participando de diversos trabalhos autorais na música instrumental brasileira com músicos como Daniel de Paula,

Guilherme Ribeiro, Rafael Abdalla e Alexandre Silverio, além de ser um dos líderes do grupo KVAR.

​Já se apresentou em festivais como: Festival Internacional de Jazz de Buenos Aires (ARG), Festival de Jazz do Capão (Chapada Diamantina – BA), Jazz a La Calle (Mercedes – Uruguai), Bourbon Street Festival (Paraty – RJ), FIMUPA (Belém – PA) Festival de Jazz de La Plata (ARG), Festival de Garanhuns (PE), SESC Jazz & Blues (SP). Também se apresentou nos EUA, Finlândia, Suécia, Colombia e outros.

BRUNO TESSELE

Bruno Tessele (baterista gaúcho residente em São Paulo) lançou seu primeiro disco autoral, intitulado “Adelante”, com o quinteto formado por: Bruno Belasco, Lucas Macedo, Michel Leme e Bruno Migotto. O grupo fará o show de lançamento em 2018.

É Bacharel em música (composição) pela Faculdade Souza Lima e estudou como aluno bolsista na Berklee College of Music (Boston – EUA).

Leciona aulas particulares em seu estúdio (Táta & Táta Estúdio) e ministra Workshops e Masterclasses.

É Colunista da Revista Modern Drummer Brasil, para o qual escreve na sessão “Lições”.

Atualmente toca com Michel Leme, Marcos Paiva, grupo Cosmopolita, o duo UsB, Jorginho Neto Sexteto, e também faz parte do quarteto liderado por Ricardo Castellanos na casa “Café Society” em São Paulo. Além disso, mantém seus próprios projetos: Bronco Trio (com composições do baterista que misturam rock, hard-core, jazz e outras influências); Bruno Tessele Quinteto.

Já tocou com os músicos: Raul de Souza, Proveta, Dom Salvador, Esperanza Spalding (EUA), Phil de Greg (EUA), Thomas Gansch (AUS), Raul Mascarenhas, Ricardo Castellanos, Mike Del Ferro (HOL), Thiago Espírito Santo, Sandro Haick, Oscar Stagnaro (Peru), Eric Miyashiro (EUA), Julio “Chumbinho” Herrlein, Antonio Arnedo (Colômbia), Edu Ardanuy, Gustavo Assis-Brasil, Lupa Santiago, Frank Solari, Walmir Gil, Bebê Kramer, Célio Barros, entre outros.

Também tocou com: Elza Soares, Filipe Catto, Selma Reis, Sabrina Parlatore, Maria Alcina, Eliana Pittman, Vânia Bastos, Lucas Santtana, Banda Glória, Andréia Dias, Ana Paula da Silva, Sara Serpa (Portugal), Marianne Solivann (EUA), Arícia Mess, Teresa Cristina, Célia, Rodrigo Del Arc, JP Simões (Portugal), etc.

Trabalhou no conceito e preparação baterística da atriz Débora Falabella para a peça “Contrações” que viajou por diversas cidades do Brasil em cartaz no CCBB.

Fez parte da banda dos musicais “Elis Regina: Elis – A Musical”, “Milton Nascimento – Nada Será Como Antes” e “Chacrinha – O Musical”.

 

IGOR WILLCOX

Nasceu em São Paulo capital no dia 6 de janeiro de 1981. Descende de várias gerações de músicos, teve como maior influência seu pai, Paulo César Willcox (maestro e arranjador, pianista e vibrafonista), e sua mãe, Sonia Willcox (cantora).

Começou a tocar bateria em 1995 aos 14 anos, tendo como seus professores os bateristas Alexandre Faccas e o suíço Jojo Mayer.

Igor tocou e gravou com importantes artistas da cena nacional e internacional como: Jimmie Bo Horn, Guilherme Arantes, Família Lima e Sandy & Junior, Anitta, Daniela Mercury, Patrícia Marx, Rappin Hood, Fernanda Porto, Frejat, Banda Sta Maria, Camille Bertault, Gary Brown, Kenny Brown, Placa Luminosa, entre outros artistas.

Na música instrumental, Igor já tocou  e gravou com grandes nomes do Jazz e da Musica Brasileira, tais como: Bocato, Tony Lakatos, Frank Colon (Weather Report), Carlos Tomati, Michel Leme, Marcinho Eiras, Ary Holland, Lea Freire, Arismar do Espírito Santo, Thiago do Espírito Santo, Fernando Rosa, Tiago Costa, Mane Silveira, Sandro Haick, Jarbas Barbosa, David Richards, Zerró Santos, Wilson Teixeira, Walmir Gil, Erik Escobar, Decebal Badila, Chiquinho Oliveira, Lanny Gordin, Rubem Farias, Alexandre Mihanovic, Zé Canuto, Bruno Alves, etc.

Seu álbum com o trio “New Samba Jazz”, lançado pelo selo suiço Altrisuoni Records, teve excelentes criticas na Europa, Ásia, EUA e Brasil, ficando como Best Seller da label durante 4 anos.

 

Importantes festivais e prêmios:

  • Batuka III (festival de bateria organizado pelo Instituto de Bateria Vera Figueiredo), ganhou na categoria musicalidade, em 1998.
  • Abertura do Batuka IV, ao lado de nomes como Dave Weckl e Virgil Donati.
  • Foi indicado pela revista Batera & Percussão como baterista revelação no ano 2000.
  • Se apresentou na 1ª edição do Batukinha, onde também tocaram Cuca Teixeira, Vera Figueiredo, Sam Aliano, Marco Minniman, Jim Chapin e Dom Famularo.
  • Se apresentou no 2° Modern Drummer Festival (Brasil).
  • Realizou workshops na Alemanha tendo como alguns mais importantes a Hochschule für Musik und Darstellende Kunst Frankfurt (Universidade de Musica de Frankfurt), Hochschule für Musik und Darstellende Kunst Hamburg  (Universidade de música de Hamburgo) , entre outros.
  • Tocou no IV Modern Drummer IP&T Festival.
  • Foi colunista da revista Batera & Percussão durante 1 ano.
  • Se apresentou no Primeiro Zildjian Camp Brasil (2015).

Atualmente Igor Willcox se dedica aos seus projetos de música instrumental “Musical Experiments” e “Igor Willcox Quartet”, acompanha o maestro e trombonista Bocato, a cantora Sophia Abrahão, além de produzir e se apresentar com seus projetos de música eletrônica WallBreakers, Better Together e Ejcox Live.

Acabou de lançar seu primeiro álbum e playjalong como artista solo, intitulado #1. O cd conta com as participações de Bocato, Carlos Tomati, Vini Morales, Clayton Sousa, Glecio Nascimento, Rubem Farias, Bruno Alves, Erik Escobar, Jj Frannco, Fernando Rosa e Marcus Cesar. O álbum teve uma excelente resenha no mais importante e popular site de jazz do mundo, o All About Jazz.

Igor Willcox é endorser das marcas Nagano Drums, Zildjian Cymbals, Korg, peles Luen, Fsa Cajons e Power Click.  –  Site: www.igorwillcox.com

LEANDRO CABRAL

 

Pianista, compositor, arranjador e educador, Leandro é um jovem músico de São Paulo destaque em sua geração. Em dezembro de 2016 apresentou seu segundo álbum “Alfa”. Lançado pela Universal Music, se tornou o primeiro artista de jazz no Brasil  da major. Gravado ao vivo no Teatro Alfa em São Paulo, Leandro, junto ao seu trio, mescla a improvisação do jazz em composições autorais baseadas em ritmos pouco usuais, como o vassi e o ijexá, ambos oriundos do universo percussivo baiano. Tem colhido grande sucesso na crítica nacional e internacional, com reviews nos EUA, Canadá, Japão, Reino Unido, Rússia, Espanha, Venezuela, entre outros. O álbum “Alfa” recebeu 5 estrelas no consagrado site estadunidense All About Jazz; foi selecionado na lista dos “10 Melhores Discos de 2016” pelo crítico musical Carlos Calado (Folha de São Paulo e Valor Econômico); no site italiano especializado Argonauta Magazine ocupou o 2o lugar na lista “Best Jazz Albums 2016”, além de receber “Menção Honrosa” na lista do site Embrulhador do mesmo ano.

Leciona no prestigiado Conservatório Souza Lima, ministra workshops e cursos abordando Jazz, Música Brasileira e Consciência Corporal, se valendo de sua experiência em Hatha Yoga.

Entre shows e/ou gravações trabalhou com renomados cantores(as), tais como Ed Motta, Maria Rita, Seu Jorge, Filó Machado, Akua Naru, Honey Larochelle (Macy Gray), Zélia Duncan, Rashid, Wilson Simoninha, Paula Lima, Roberta Sá, Cynthia Utterbach, entre outros.

Já tocou com grandes músicos Ed Neumeister (USA), Adonis Rose (USA), Lupa Santiago, Sérgio Galvão, Edu Ribeiro, Vincent Gardner (USA), Hector Costita (ARG), David Richards (USA), Nailor Proveta, Jessé Sadoc, Daniel D’alcântara, Casey Scheurell (USA), Cuca Teixeira, François Lima, Letieres Leite, Bocato, Vitor Alcântara, Jaques Morelenbaum, Vinícius Dorin, Walmir Gil, Paulinho Guitarra, Wilson Teixeira, Arismar do Espírito Santo, Thiago do Espírito Santo, e Márcio Montarroyos.

Com seu projeto “Leandro Cabral Grupo celebra Moacir Santos e Letieres Leite” participou da gravação do documentário francês “Echoes Project” (Phonographe Corp.) e recebeu elogio do próprio Letieres.

Em 2015 lançou seu primeiro álbum como líder, intitulado “Sobre Tradição”. O registro visual deu origem à consagrada websérie do Estúdio Arsis “Arsis Piano Sessions”. A série já apresentou episódios de renomados músicos das teclas, como Nelson Ayres, Mestrinho, Arismar do Espírito Santo, Fábio Torres, Philippe Baden Powell e Sašo Vollmeier.

Atualmente, colabora em variados projetos tocando em inúmeros festivais de jazz pelo Brasil e exterior, tais como Ed Motta, Lupa Santiago Quartet, Deep Funk Session, Lourenço Rebetez, Daniel de Paula e a Irmandade, além de seu Trio, Grupo e Piano Solo.

Bacharel em Piano pela Faculdade de Artes Alcântara Machado – FAAMFMU (2004), estudou piano, saxofone e teoria musical na Fundação das Artes de São Caetano do Sul durante sua adolescência. Se capacitou em Yoga sob orientação do professor Marcos Rojo no CEPEUSP – Universidade de São Paulo, em 2014.

LUPA SANTIAGO

Guitarrista, compositor e professor Lupa Santiago se apresentou e gravou com diversos artistas internacionais de Jazz no Brasil, e em turnês na Europa (França, Espanha, Irlanda, Finlândia, Portugal, Estônia, Dinamarca, Servia, Áustria, Holanda, Suécia, Itália, Suíça e Holanda), America do Sul (Colômbia, Argentina, Chile e Peru), África do Sul e EUA, ao lado de nomes como David Binney, John Escreet, Jerry Bergonzi, Bill Pierce, Jaleel Shaw, Dave Liebman, Ronan Guilfoyle, Jarmo Savolainen, Ohad Talmor, Benoit Sourisse, André Charlier, Didier Lockwood, Jakob Anderskov, Dave Pietro, Howard Levy, Adônis Rose, Ed Neumeister, Oscar Stagnaro, Magos Herrera, Bob Kaufman e Jamey Haddad, além dos artistas brasileiros: Roberto Menescal, Daniel D’Alcântara, Helio Alves, Nelson Faria, Sizão Machado, Vinicius Dorin, Edu Ribeiro, Rogério Bocato, Nenê, Cuca Teixeira entre outros.

Com 17 CD’s lançados como líder em seus grupos (5teto com Rodrigo Ursaia, Regra de Três, Lupa Santiago Sexteto, Sinequanon, Duo com Paulo Braga), sendo 5 gravados e lançados no exterior, além de  participação em cd´s de outros artistas. seu primeiro recebeu indicação para o Grammy Latino, Apresentou se em vários festivais no Brasil: Ilha Bela Jazz, Amazonas Jazz Festival, Ourinhos, Itajaí/SC, Cascavel/PR, Brasil Instrumental, CIVEBRA (Brasília), MB&Jazz, Berklee on The Road, Santa Jazz/ES e Domingos Martins/ES.

Lupa Santiago fez mestrado no Boston Conservatory e Berklee College Of Music formou-se pela Berklee College Of Music  e graduou-se pelo Musicians Institute (GIT/Los Angeles) Recebeu, por duas vezes, o prêmio Best Of Berklee (1998 e 2000), eleito em 2009 e re eleito em 2014 membro da diretoria do IASJ (International Association of Schools of Jazz).

Lupa Santiago é Coordenador Pedagógico e Vice Diretor da Faculdade Souza Lima/SP, e autor de três livros (Improvisação Moderna I, Play Along de Métricas Impares e Dicionário de Acordes e Condução de Vozes) lançadas no Brasil (Editora Souza Lima) e na Europa, Ásia e EUA (Advance Music). Foi membro do júri do Festival Best Musical Mind (Belgrado/Servia 2016). Diretor artístico da serie de shows Audições Históricas do SESC Pinheiros em 2015 e 2016. Lupa também apresenta a série semanal Edição Limitada na Radio Eldorado desde 2016.

Lupa Santiago usa amplificadores VOX, JL Pedais, guitarras Sadowsky Archtop, MCM Custom Parts, Adriano Guerra e cordas La Bella. – www.lupasantiago.com

TRIBUTO A HERBIE HANCONK

Herbie Hancock é um pianista e compositor norte-americano, considerado um dos mestres do jazz ainda vivo. Com uma carreira ilustre que abrange cinco décadas e 14 Grammy Awards, ele continua a surpreender o público em todo o mundo.

Existem poucos artistas na indústria da música que tiveram mais influência no jazz acústico e eletrônico e R & B do que Herbie Hancock. Como o imortal Miles Davis disse em sua autobiografia, “Herbie foi o passo após Bud Powell e Thelonious Monk, e ainda não ouvi ninguém que veio depois dele”.

Sua discografia inclui discos voltados para o Jazz assim como algumas incursões pelo Fusion, Funk e Música Clássica. Poucos pianistas têm ou tiveram uma carreira tão fecunda quanto Hancock, que já atravessa algumas décadas como um dos maiores pianistas da história do Jazz.

Agora, na quinta década de sua vida profissional, Herbie Hancock permanece onde ele sempre esteve: na vanguarda da cultura, tecnologia, negócios e música do mundo. Embora não se possa seguir exatamente onde ele irá, ele certamente deixará sua marca inimitável onde quer que ele atinja.

O Tributo a Herbie Hancock será interpretado pelos músicos Nino Nascimento, Davi Sansão e Jônatas Sansão.

TRIBUTO A THELONIOUS MONK

 

Thelonious Sphere Monk (1917-1982) foi um pianista e compositor de jazz norte-americano. Thelonious Monk foi um pianista único, e considerado um dos mais importantes músicos do Jazz. Monk tinha um estilo único de improvisar e tocar. Era famoso por seus improvisos de poucas e boas notas. Preciso, fazia com duas ou três notas o que outros pianistas faziam com nove ou dez. Cada nota entrava perfeitamente no contexto da música, numa mistura melódica e rítmica.

Monk é um dos fundadores e principais músicos do bebop. Seu famoso estilo (o “Melodious Thunk, apesar de único, é referência no jazz da segunda metade do século XX. Uma vez perguntado sobre quem era sua maior influência, declarou: “Bem, eu próprio, naturalmente.” Seu estilo experimental antecipava muito do que, mais tarde, na década de 1960, foi o free jazz. Monk influenciou muitos músicos jazz dos anos ’60, como John Coltrane, Ornette Coleman, Sonny Rollins e Eric Dolphy.

Monk sofreu um AVC e morreu em 17 de fevereiro de 1982. Em 1993 foi agraciado, postumamente, com o Grammy Lifetime Achievement Award. Em 2006, Monk foi laureado com o Prémio Pulitzer de Música.

TRIBUTO A MILES DAVIS

 

Miles Dewey Davis III (1926 – 1991) foi um trompetista, compositor e bandleader de jazz norte-americano.

Ele é uma das figuras mais influentes e aclamadas da história do jazz e da música do século XX. Davis adotou uma variedade de orientações musicais em sua carreira de cinco décadas que o manteve na vanguarda de uma série de grandes desenvolvimentos estilísticos no jazz.

Davis esteve na vanguarda do jazz desde a Segunda Guerra Mundial até a década de 1990. Kind of Blue, seu álbum mais conhecido, é também reconhecido por muitos fãs, críticos e ouvintes de jazz como o maior álbum de jazz de todos os tempos,Kind of Blue tem sido citado como o álbum de Miles Davis mais vendido da sua carreira, bem como o álbum de jazz mais vendido da história.

O Tributo a Miles Davis será interpretado pelos músicos Maycon Mesquita, Cuca Teixeira, Marcelo Jesuino e Carlinhos Noronha.

Related Posts

Deixe uma resposta